Portal

O 3º Setor como propulsor do desenvolvimento local

Revista ACI - Outubro2020

Como sabemos, as Organizações da Sociedade Civil (OSCs) são entidades que realizam ações voltadas para a preservação da vida, promoção dos direitos e o desenvolvimento social. São instituições privadas, mas com finalidades de interesse coletivo, ou seja, em sua essência, são parceiras do poder público no atendimento a necessidades da população.

Entretanto, suas potencialidades como agentes econômicos são desconsideradas por muitos. Não levam em conta que as OSCs compõem o PIB (Produto Interno Bruto) fazendo compras e contratando pessoas e serviços para realizarem seus trabalhos. Existem aqueles que até as consideram como um "peso" ou "fardo", pelo fato de muitas delas buscarem recorrentes doações de empresas e da sociedade local.

De fato, muitas organizações precisam repensar o financiamento de suas atividades. E dinheiro não falta. Existem bilhões de reais disponíveis em fundos públicos e privados, tanto nacionais como internacionais. E a legislação brasileira também prevê destinações com incentivos fiscais. A título de exemplo, segundo dados disponíveis no site da CNM (Confederação Nacional de Municípios), o Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente recebeu na declaração do Imposto de Renda menos de 4% dos mais de R$ 16 milhões que estavam disponíveis em relação aos contribuintes de Montes Claros.

Uma boa gestão, com registros e controles eficientes de suas operações, transparência e comunicação de qualidade são fundamentais para que as organizações possam ter acesso a estes recursos. E a cooperação de instituições de ensino, empresas, cidadãos e governos neste sentido, pode fazer a diferença. Precisamos avançar nesta direção, trazendo mais benefícios para toda a sociedade. E você? Já está fazendo a sua parte?

25ª FENICS

A Rede Voluntariado, exercendo o seu papel de responsabilidade social, apresentou na 25ª FENICS, Feira Nacional da Indústria, Comércio e Serviços, Edição Especial Online, o portal MONTESCLAROS.ORG.BR. Nele são divulgadas entidades do 3º Setor, bem como empresas e profissionais locais, além de eventos, notícias e artigos. No conteúdo restrito, as organizações acessam gratuitamente informações sobre o cumprimento de obrigações legais e gestão de entidades sem fins lucrativos. E gradativamente, com apoio de instituições de ensino, serão disponibilizadas funcionalidades para auxílio nestas tarefas.

Ainda como atividade da FENICS, tomaram posse os membros dos Conselhos Empresarial, Acadêmico e do Terceiro Setor do Coletivo Sociedade Civil Organizada, que tem como propósito unir a sociedade civil em prol do desenvolvimento da cidade. Também foram oficializados os apoios institucionais da CDL, FIEMG e Sociedade Rural à Rede Voluntariado. Somando forças com a ACI, certamente o desenvolvimento do 3º Setor em nossa cidade será ainda mais significativo.

Origem, Aplicação e Resultados

  • As principais fontes financiadoras devem ser aquelas que não oneram diretamente a sociedade, como fundos públicos e privados, nacionais e internacionais, além de destinações com incentivos fiscais.
  • As entidades precisam adquirir bens e contratar serviços para realizar suas ações, portanto participam do mercado local aquecendo a economia e gerando emprego e renda.
  • Portanto, quanto mais o 3º Setor recebe estes recursos e aplica com eficiência, além de cumprir seus objetivos primários, se torna cada vez mais um importante propulsor do desenvolvimento local.

rsc rse csr responsabilidade social desenvolvimento

Publicado em: 27 de outubro de 2020

Edenilson Durães


Referência Regional em Responsabilidade Social Empresarial


Presidente do ED Instituto


Diretor da Rede Voluntariado


Vice Presidente do CODEMC


1º Tesoureiro da ACI


Conselheiro Fiscal da ADENOR


Conselheiro Fiscal do MCRCV&B


Voluntário há mais de 37 anos, especialmente nas áreas da infância e adolescência, desenvolvimento humano e empreendedorismo


Bacharel em Ciências Contábeis com pós graduação em Controladoria


Foi professor, coordenador de campus e chefe de departamento de ciências contábeis da UNIMONTES


Foi palestrante, consultor e instrutor do SEBRAE nas unidades de políticas públicas e de educação, atuando nas áreas de empreendedorismo, mercado, finanças e gestão da qualidade


Compartilhe:

Outros Artigos